Questões do Cotidiano aborda o tema “Adoção”

No último dia 15, a equipe do setor psicossocial da Comarca de Pouso Alegre esteve na Faculdade Católica para discutir o tema da “Adoção: uma família para a criança ou adolescente”. 

Os profissionais que trataram do tema em questão foram: Maria Eunice Vilela Dande Netto, psicóloga clínica, especialista em psicologia analítica junquiana, formada em psicologia cognitiva compor e psicóloga judicial (técnica em colaboração); Ana Paula Ferreira de Oliveira Machado, assistente social judicial do Fórum da Comarca de Pouso Alegre e especialista em serviço social judicial pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Geane Santiago de Paula Amoglia, assistente social Judicial da Comarca de Pouso Alegre e especialista em políticas públicas pela UFMG; Sônia Cristina de Jesus Adão, assistente social judicial da Comarca de Pouso Alegre e especialista em violência doméstica contra crianças/ adolescentes; Larissa Jorge Silva, assistente social Judicial na Comarca de Pouso Alegre e mestre em desenvolvimento, tecnologias e sociedade pela Universidade Federal de Itajubá.

O evento contou com a participação de representantes de Senador José Bento, técnicos das comarcas de Cambuí e São Gonçalo do Sapucaí, bem como famílias que deram o testemunho sobre sua vivência de adoção. Também participaram casais que estão em processo de habilitação para a adoção e comunidade em geral.

As boas-vindas foram dadas pela coordenadora do curso de Filosofia da Faculdade Católica, professora Leila Silvia L. S. Tourinho, que explicou como funciona a dinâmica do Questões do Cotidiano da Faculdade Católica.

Para fazer uma abordagem filosófica sobre o assunto, o aluno do sexto período de Filosofia, Tomé Bruno Pires, ministrou palestra Inicial sobre o tema: “Lévinas e a Filosofia da Alteridade - Adoção: acolhida ao Rosto do Outro que clama por amor”. De acordo com ele, a referência ao filósofo contemporâneo colabora efetivamente na temática proposta pelo evento da faculdade: “’Adoção: de crianças ou adolescentes’, uma vez que a abordagem do pensamento filosófico coloca em evidência uma ética que contemple a pessoa humana como um todo. Ética essa que se concretiza a partir da acolhida e do cuidado para com o Outro,” frizou.

A psicóloga clínica Maria Eunice Vilela Dande Netto tratou dos aspectos psicológicos da adoção, destacando o que se passa no imaginário das famílias. De acordo com ela, muitas vezes, os filhos representam a esperança/ desejo dos pais de realizar seus próprios ideais. “As diversas motivações expressam pensamentos conscientes e fantasias inconscientes. Ou seja, associada ao pensamento, existe a fantasia inconsciente,” ressaltou.

As expectativas da criança ideal x criança real, a adoção de crianças a partir dos 12 anos, a adolescência e o acompanhamento no processo de amadurecimento dessas crianças também foram temas tratados pela profissional.

Após a sua explanação, duas famílias deram seus testemunhos de adoção. São elas: Elisângela Ramos Machado de Paiva e Arley de Paiva, que adotaram a Júlia Machado de Paiva; e o casal Vanderlei Miranda Ferreira e Thaís Aparecida Jacob, que adotaram 04 crianças, sendo duas delas irmãos biológicos.

No momento seguinte ao depoimento abriu-se para perguntas e, através das intervenções, a especialista em serviço social judicial, Ana Paula, falou sobre a necessidade de que pretendentes à adoção, seja uma pessoa ou um casal, busquem o judiciário para providenciar sua habilitação. Falou também sobre o fato de que a entrega direta, ou seja, quando uma mãe, ou um pai, quer entregar uma criança diretamente para quem quer adotar constitui um crime e a família que está adotando correr o risco de perder a criança, já que a família biológica poderia voltar atrás em sua decisão. “Através do judiciário a família adotante não corre esse risco, pois a criança/adolescente que vai ser adotada já foi destituída do poder familiar, ou seja, não mais está sob a responsabilidade destes pais biológicos e é a equipe psicossocial quem faz o contato com a família adotante”, explicou.

Ana Paula explicou ainda sobre o cadastro, esclarecendo que a pessoa pode se habilitar somente para a comarca onde a mesma reside, ou manifestar o interesse em estar habilitado no Cadastro Nacional de Adoção, “quando então pode receber crianças/adolescentes de outra comarca, como foi o caso da Thaís e do Vanderle,i que adotaram em outro estado”, ilustrou.

O próximo “Questões do Cotidiano” acontece dia 19 de setembro e tratará sobre a temática do bullying.   Acompanhe as ações da Faculdade católica através do site www.facapa.edu.br, curta a nossa página: Faculdade Católica e siga-nos no instagram: faculdadecatolicadepa.


A especialista em serviço social judicial, Ana Paula 

A psicóloga clínica Maria Eunice Vilela Dande Netto durante sua fala

O aluno Tomé Bruno durante sua explanação

Elisângela Ramos Machado de Paiva e Arley de Paiva, adotaram a Júlia Machado de Paiva 

Vanderlei Miranda Ferreira e Thaís Aparecida Jacob, que adotaram 04 crianças, sendo duas delas irmãos biológicos

Público presente

Café Filosófico de setembro trata sobre: “Questões de ética na contemporaneidade”



O tema será abordado Pelo professor doutor Prof. Dr. Franklin Leopoldo e Silva. Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1971), mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1975) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1981). Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: história, crítica, ética, existência e conhecimento.

O Café acontece no próximo dia 16 de setembro. Garanta já sua participação, a entrada é franca!