Cursos de Extensão - 2° semestre de 2018 - Confira!

Já estão com as inscrições abertas os novos cursos de Extensão da Faculdade Católica de Pouso Alegre. Os interessados podem fazer sua pré-inscrição aqui, ou pelo telefone (35) 3421-1820, ou ainda pessoalmente na Secretaria Acadêmica.

Novo curso de inverno da Faculdade Católica. Confira!


A Faculdade Católica de Pouso Alegre abre inscrição para novo curso de inverno.
Você não pode ficar de fora. Confira:

Curso de Inverno em Metamorfoses do Niilismo na Contemporaneidade: Consumismo e “Cultura do Tempo Acelerado”
Este curso de extensão se propõe a investigar em que medida as ideias desenvolvidas pelos filósofos Friedrich Nietzsche, Ernst Jünger e Byung-Chul Han podem contribuir para a compreensão e avaliação de dois fenômenos característicos da sociedade contemporânea: o consumismo e a exigência crescente e generalizada por rapidez e agilidade, acompanhada da respectiva preocupação contínua com a perda de tempo, a qual denominamos aqui de “cultura do tempo acelerado”.

Docente: Prof. Dr. João Paulo Simões Vilas Bôas (professor do curso de licenciatura em filosofia da UFT e docente do programa de mestrado profissional em filosofia – PROF FILO. Autor de Niilismo e grande política em Nietzsche. Ed. UFPR, 2016).

Para conhecer o projeto de curso, clique aqui.

Para Inscrição, clique aqui.


Questões do Cotidiano de junho trata do alcoolismo e seus impactos na família, no trabalho e na sociedade


No dia 19 de junho, às 19h30, no auditório da Faculdade Católica de Pouso Alegre aconteceu mais uma edição do “Questões do Cotidiano” de 2018. Com o tema “Alcoolismos e seus impactos na família, no trabalho e na sociedade”, o professor e jornalista Rogério Miranda, da cidade de Cruzeiro/SP, foi o responsável pela palestra.

As boas-vindas foram dadas pela coordenadora do curso de Filosofia da Faculdade Católica, Prof.ª Ma. Leila Silvia Latuf que esclareceu, a importância do evento, ao tratar de questões inerentes à nossa vida e, sendo esse evento, realizado toda terceira terça de cada mês, ele está se tornando uma tradição de grande importância, à medida que estreita os laços entre a comunidade acadêmica e a sociedade.  “Receber os membros do AA é um privilégio para nossa instituição. Poder compartilhar suas experiências, forças e esperanças na solução de uma doença como o alcoolismo, nos torna ainda mais privilegiados”. Foi lembrado pela professora que o dia 19 de junho se comemora 10 anos que a Lei Seca foi instituída no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em nossa sociedade.
A interação do corpo discente ao evento ficou por conta do aluno Alexandre Augusto Izaias, que nos trouxe Zygmunt Bauman e Slavoy Žižek para tratar do mundo líquido e do imperativo do gozo, temas pertinentes a cada um dos autores. O aluno Alexandre iniciou retratando que as instituições que antes cumpriam tarefas perderam suas referências, deixando assim o indivíduo desintegrado, sem lugar no mundo. A selvageria capitalista torna a vida direcionada para o consumo. Sobre Zizek, foi falado sobre o imperativo do gozo, que segundo o autor, em termos psicanalíticos não é igual ao prazer. O gozo está além do princípio do prazer. Enquanto o prazer existe nos moldes do equilíbrio e da satisfação, o gozo é desestabilizador, traumático. É uma norma social, um dever. Oficialmente temos permissão de ter prazer, de organizar nossa vida em torno da maneira de obter a máxima satisfação possível. Mas disso tudo qual é o resultado fundamental? O resultado intrínseco é que para realmente gozarmos a vida, temos de seguir um sem número de normas e proibições.
A palestra do professor e jornalista Rógerio Miranda iniciou comentando sobre a doença do alcoolismo considerada um dos mais sérios problemas de saúde pública da atualidade, despertando a atenção de autoridades médicas. Segundo as informações disponíveis 1 (um) de cada dez (10) indivíduos são alcoólicos. Mencionou ainda que os Alcoólicos Anônimos (AA) é uma irmandade de homens e mulheres voluntários, vindos de todas as camadas sociais, que se reúnem para alcançar e manter a sobriedade. O único requisito para ser membro é o desejo de parar de beber, não havendo a necessidade de pagar taxas ou mensalidades.
Ainda, segundo o professor Miranda, um também membro do AA , comentou que, durante as reuniões, os alcoólicos se reconhecem como “doentes alcoólicos”: “Sou um doente alcoólico em recuperação e venho às reuniões para me manter sóbrio”. A sobriedade é mantida através do compartilhar de experiências e, também dos Doze Passos sugeridos para a recuperação do alcoolismo. Foi falado que a família é codependente do alcoólico e que o alcoolismo é visto como um solvente de famílias. O álcool é considerado a rainha das drogas, é ele que libera o ser humano, e paradoxalmente, também o transforma num prisioneiro. É um agregador na sociedade, mas nunca para um alcoólico. O alcoólico é um doente que chegou ao maior grau possível de sua doença e se torna invisível à sociedade. Alcolismo: uma prisão que inicia com a sensação de liberdade. PENSE NISTO.

“Questões do Cotidiano” acontece todas as terceiras terças-feiras do mês com temas que estão em discussão na atualidade. A entrada é franca. Para participar basta ficar atento ao calendário da Faculdade Católica. Venha participar com a gente! Para ficar por dentro de todas as atividades acesse: www.facapa.edu.br ou curta nossa página no Facebook e siga-nos no instagram: faculdadecatolicadepa.